Número total de visualizações de página

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Um dia...

Ainda não tenho aquelas mãos cansadas
Um dia virei a ter
Ainda não tenho as veias azuis à mostra
Um dia virei a ter
Ainda não tenho a cabeça branca
Um dia virei a ter
Ainda não esqueci que te amo
Um dia virei a esquecer
A olhar para ti
Sem te reconhecer
Um dia tu e eu
Havemos de envelhecer
E morrer

Helena

5 comentários:

  1. Um dia, daqui a muito tempo!

    Um beijinho,
    Vânia

    ResponderEliminar
  2. É um prazer ler as suas palavras aveludadas, sentir as suas emoções experientes e o discernimento que as envolve. Sempre a achei uma grande Senhora, que consegue aliar um incomensurável lastro intelectual com uma simplicidade terna e calorosa. Continue a fazer-se ouvir, não se deixe confundir com os pseudo-comentadores-opinadores de segunda e pagos a peso de ouro, que por aí abundam. E, por favor, continue a existir e não fale no inevitável, no que só faz sentido falar (pelos que cá continuarem a lamentar-se)depois de acontecer. Continue a brilhar...

    ResponderEliminar
  3. Um belo poema sobre o inevitável, de uma clareza poeticamente elucidativa.
    xx

    ResponderEliminar
  4. Helena Um dia, pois o mundo dá muitas voltas e nestas voltas da vida , a poesia se encontra com a vida eterna
    com carinho

    ResponderEliminar