Número total de visualizações de página

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Para o André

Há coisas que não se explicam.
Apenas se sentem.
Desde o primeiro dia,
Em que te tive nos braços,
Eu soube que seria assim,
A nossa proximidade.
Que não é feita só de ternura,
Mas de muito mais do que isso.
É saber que nos entendemos
Nos gestos, nas palavras, nos silêncios.
E é ter a certeza
Que onde quer que estejamos,
Um de nós vai sempre procurar o outro.

Helena

2 comentários:

  1. Coisas que apenas o coração e a alma sentem.
    Procurar a explicação seria como procurar entender a linguagem dos pássaros.Existe aquele incomensurável AMOR e é tudo o que é necessário saber.

    Parabéns, Helena, por este poema-pensamento tão verdadeiro e tão profundo.E um beijinho para o neto André :)).

    Um abraço de LUZ!

    Clotilde

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde Drª Helena, responsável por uma Biblioteca Púbica no distrito de Lisboa. Gostaria de poder contactá-la, talvez via email, para lhe poder fazer um convite. Deixo, para isso, o meu email zitagv@hotmail.com

    ResponderEliminar