Número total de visualizações de página

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Nem sempre sei

Nem sempre sei de mim,
Nem sempre sei de ti.
Só sei
Que sem ti
Me perco
De mim!

Helena

1 comentário:

  1. Perdeu-se

    Perdeu-se um homem. Perdeu-se sozinho. Completamente sozinho. Antes de se perder, um dia, deu com um recado. Era do instinto de sobrevivência. Dizia assim:
    “Tirei férias, não sei quando volto.”

    E o homem, no dia em que se perdeu, sozinho, completamente sozinho, escreveu um recado que dizia assim:
    “Instinto meu, quando voltar encontre outro corpo para preservar.”


    © PLopes, in “Marinheiro de si”. Outros contos do “Marinheiro de si” disponíveis aqui. E aqui :-)

    ResponderEliminar